rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

África do Sul Água Seca

Publicado a • Modificado a

Torneiras da Cidade do Cabo podem secar até Abril

media
Cape Town Andrew Massyn/CC/Wikimedia

As torneiras da Cidade do Cabo estão prestes a secar. Os residentes já enfrentam difíceis restrições no consumo diário de água.


A crise é conhecida por "Dia Zero", os meteorologistas apontam que as torneiras com água potável estejam secas até meados de Abril.

Desde quinta-feira passada, 1 de Fevereiro, os cerca de quatro milhões de habitantes Cidade do Cabo, na África do Sul, ficam regidos por um limite de consumo pessoal de 50 litros de água potável por dia, um esforço colectivo para evitar o chamado cenário "Dia Zero", que representaria a seca total das torneiras em toda a cidade.

Po enquanto, apenas 55% dos residentes respeitam o limite aplicado na semana que passou de 87 litros para 50 litros por dia.

Esta manhã os responsáveis da Cidade do Cabo apresentaram, em conferência de imprensa, os risco do consumo de águas recolhidas não tratadas pelo município como explica a responsável pelas acções e serviços de saúde pública em 24 clínicas da Cidade do Cabo, Virgínia de Azevedo.

Virgínia de Azevedo, responsável pelas acções e serviços de saúde pública em 24 clínicas da Cidade do Cabo 05/02/2018 ouvir

As tensões começam a subir na Cidade do Cabo

De acordo com o governo da Cidade do Cabo, os níveis de barragens caíram na semana passada para 26,3%, muito abaixo da capacidade máxima. O problema do fornecimento público de água para esta metrópole sul-africana prende-se ao facto de a água ser quase proveniente exclusivamente das seis barragens próximas, ficando assim a cidade dependente da pluviosidade.

Um chuveiro gasta em média 15 litros por minuto, enquanto um autoclismo consome 15 litros por descarga, de acordo com WaterWise, uma campanha sul-africana de conscientização sobre uso de água.

Os jardins da calçada da Sea Point, outrora verdes, estão agora cobertos por erva seca. Desde meados de 2017, foi proibida a utilização de água potável para a rega com vista a economizar as reservas de águas subterrâneas, a cidade está também a desencorajar o uso das águas dos furos nos canteiros e jardins.

Os problemas relacionados a seca não se limitam à Cidade do Cabo. Estima-se que cerca de 850 milhões de pessoas não tenham acesso a água potável, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).