rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Brasil 30ª Cimeira da União Africana Etiópia Luiz Inácio Lula da Silva FAO Fome

Publicado a • Modificado a

Lula denuncia situação interna em vídeo enviado à UA

media
Lula durante reunião da Comissão Executiva Nacional do PT EUTERS/Leonardo Benassatto

Decorreu em Addis Abeba uma reunião da FAO subordinada ao tema "Parceria renovada para acabar com a fome em África até 2025". No encontro deveria ter participado o ex-presidente do Brasil. O director-geral FAO lamentou a ausência do conterrâneo e lembrou o exemplo de Lula da Silva na luta contra a fome.


Decorreu em Addis Abeba, Etiópia, à margem da 30ª Cimeira de chefes de Estado e de Governo da União Africana, uma reunião da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) subordinada ao tema "Parceria renovada para acabar com a fome em África até 2025 - Cinco anos depois: balanço dos progressos e lições à luz dos objectivos de desenvolvimento sustentável".

No encontro deveria ter participado o ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, que faltou ao encontro depois da justiça brasileira lhe ter confiscado o passaporte e de o ter proibido de sair do país.

No final da reunião da FAO que decorreu na sede da União Africana, o brasileiro José Graziano da Silva, director-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura lamentou a ausência do ex-chefe de Estado do Brasil e lembrou o exemplo de Lula da Silva na luta contra a fome.

Nós sentimos a falta dele [Lula da Silva] como um líder no combate à fome. [O Brasil] é talvez o único país do mundo que tenha, de facto, um exemplo concreto de como erradicar a fome num país de mais de 200 milhões de habitantes em menos de uma década. É isso que nós queríamos ouvir dele”, sublinhou José Graziano da Silva, director-geral da FAO.

José Graziano da Silva, director-geral da FAO 29/01/2018 ouvir

José Graziano da Silva, entrevistado por Neidy Ribeiro, enviada especial a Addis Abeba.

O antigo presidente do Brasil, não se deslocou a Addis Abeba, mas enviou uma mensagem vídeo para a capital etíope.

Lula da Silva iria participar numa mesa redonda intitulada “Partilha de experiências no combate à fome”

Lula aproveitou para denunciar o actual momento que se vive no seu país, com destituição de Dilma Roussef, e os vários os casos de justiça que envolvem o ex-presidente, inclusive o conhecido processo Lava Jato. Lula sublinha que “não tem limite a quantidade de mentira” utilizada para impedir a sua recandidatura ao palácio do Planalto.

No que toca ao combate à fome, Lula deixou uma mensagem aos seus “companheiro”: “quero dizer para vocês que a fome no mundo hoje não é mais falta de alimento, porque o mundo produz alimento de sobra. A fome no mundo hoje é na verdade falta de dinheiro para o povo mais humilde poder comprar, e dinheiro também não falta no mundo, porque são trilhões e trilhões de dólares que ficam sobrevoando os oceanos, especulando, ganhando dinheiro sem produzir uma única peça, vivendo de exploração, como nós sabemos que existe no mundo inteiro."

De relembrar que em 2013 o Instituto Lula, a FAO e a União Africana reuniram-se para delinearem políticas sociais inspiradas na experiência brasileira, com o objectivo de eliminar a fome no continente africano até 2025. Em Addis Abeba, este fim-de-semana, o objectivo era fazer um balanço da situação, cinco anos apos o primeiro encontro.