rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Senegal Guiné-Bissau

Publicado a • Modificado a

Senegal : corpos de guineenses entregues às famílias

media
Ziguinchor em Casamança Getty Images

A morte no fim-de-semana de 13 lenhadores na Casamança, província do Sul do Senegal, fronteiriça com a Guiné-Bissau continua a ser investigada pelas autoridades. Os separatistas do Movimento das forças democráticas de Casamança (MFDC) descartam qualquer envolvimento no ocorrido.


Os treze lenhadores foram mortos por balas ou por armas brancas, sete outros escaparam à emboscada. O ataque aconteceu no sábado nas matas de Bofa Bayotte, da aldeia de Boutoupa Camarakunda, numa zona fronteiriça entre a Guiné-Bissau e o Senegal.

Três homens com ferimentos graves foram evacuados para Dacar para receber mais cuidados intensivos.

Entre as vítimas, três eram de origem da Guiné-Bissau. De acordo com um dos sobreviventes, os assassinos encapuçados estavam em uniforme militar equipados com sapatos tipo rangers e falaram em língua diola.

O Movimento que luta há mais de 30 anos pela independência da região sul do Senegal, refutou o envolvimento dos seus homens no cenário macabro. O Movimento acusa o Senegal de aproveitar a oportunidade para desencadear a guerra, enquanto o processo de paz estava em andamento.

No domingo, uma companhia de 150 pára-quedistas chegou e foi enviada para o local na passada terça-feira. O chefe de Estado Maior do Senegal, o general Guèye chegou a Ziguinchor.

Os corpos dos três guineenses mortos eram hoje entregues em Ziguinchor às famílias, os pormenores com Allen Yero Embaló.

Correspondência de Allen Yero Embaló 11/01/2018 ouvir