rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

França Imigração Emmanuel Macron Extrema-Direita Esquerda Eleições

Publicado a • Modificado a

Discurso de Macron sobre imigração tem objectivo eleitoralista

media
O Presidente francês, Emmanuel Macron. Ludovic Marin/Pool via REUTERS

Duas semanas antes do debate sobre a política migratória da França, o Presidente Emmanuel Macron considerou que "quando se pretende ser humanista, acaba-se às vezes por ser demasiado laxista". Segundo os analistas em Paris,a ofensiva de Macron sobre a imigração visa não deixar a questão somente nas mãos da direita e da extrema-direita, na perspectiva, nomeadamente,da eleição presidencial de 2022.


A quinze dias do debate sobre a nova política de imigração da França,o Presidente Emmanuel Macron decidiu mobilizar a sua maioria parlamentar, bem como o governo para, segundo o chefe de Estado francês, confrontar a questão.

Macron considerou num discurso sobre a questão migratória em França, que o humanismo acaba por transformar-se em laxismo.

Segundo ele, a esquerda francesa não quis enfrentar o problema durante décadas e essa foi a razão pela qual as camadas populares começaram a votar a favor da extrema-direita.

Em Setembro de 2018, a imigração foi das primeiras questões a ser objecto de uma lei em França. Tida como moderada pela direita, a referida lei provocou divergências no seio da maioria governamental, composta por diferentes sensibilidades políticas.

Fontes ministeriais julgaram positiva a ideia de um debate sobre a imigração, de modo a esclarecer determinados problemas, mas lamentaram a maneira como foi colocada a questão.

As mesmas fontes sublinharam que a imigração é vista como um problema para a França e não como uma riqueza, assim como destacaram as clivagens entre os membros do governo oriundos da direita e da esquerda.

Marine Le Pen, presidente do partido da extrema-direita, Rassemblement National,afirmou na terça-feira que não acredita no endurecimento do tom de Emmanuel Macron sobre a imigração. Segundo ela, o discurso de Macron resume-se a uma atitude eleitoralista.

O porta-voz dos deputados do Partido Socialista, Boris Vallaud, acusa o chefe de Estado francês de olhar para o problema da imigração só através da extrema-direita.

Segundo uma sondagem realizada pelo instituto Ipsos-Sopra e publicada na segunda-feira, 64% dos franceses têm a impressão de não sentir-se mais em casa ( França ), como antigamente.