rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Iémen Conflito Arábia Saudita Coligação Nações Unidas Crise Achim Steiner Humanitária

Publicado a • Modificado a

Onu afirma que Iémen enfrenta pior crise humanitária

media
O Presidente do Iémen, Abd-Rabbu Mansour Hadi,quando discursava diante da Assembleia Geral das Nações Unidas em Setembro de 2018.embre 2018 à New York. John Moore / Getty Images / AFP

A ONU lançou um apelo para que a comunidade internacional não vire as costas ao Iémen e honre as suas promessas de ajuda ao país devastado pela guerra, e que enfrenta uma pobreza extrema. Segundo um relatório da Agência das Nações Unidas para o Desenvolvimento, quatro anos de conflito, fizeram com que o Iémen retrocedesse duas décadas.


De acordo com Achim Steiner, administrador da Agência das Nações Unidas para o Desenvolvimento, quatro anos de conflito resultaram em 20 de atraso, para o Iémen .

Steiner referiu-se à crise humanitária enfrentada pelo país mais pobre do Médio-Oriente, sublinhando que as Nações Unidas receberam menos de que 36 por cento dos 2,6 mil milhões de dólares da ajuda prometida ao Iémen, durante a conferência internacional realizada em Genebra, no mês de Fevereiro.

O responsável pela Agência das Nações Unidas para o Desenvolvimento, afirmou que se não receberem os fundos necessários, dentro de dois a três meses, cerca de 21 programas de assistência ao Iémen, terão de ser cancelados.

Segundo as agências de assistência humanitária, milhares de pessoas morreram desde que a coligação árabe, liderada pela Arábia Saudita, interveio no Iémen em 2015 a favor do governo, na sua luta contra os rebeldes hutis.

Achim Steiner, que dirige a referida agência da ONU desde 2017, considerou que o Iémen enfrenta a pior catástrofe humanitária mundial e que, devido ao conflito, a situação agrava-se para 20 milhões ou cerca de dois terços de iemenitas, que necessitam de assistência.

Steiner declarou que dez milhões de pessoas no Iémen, correm o risco de sofrer com a fome.