rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Eleição presidencial Guiné-Bissau Carlos Gomes Júnior Candidatura País Políticos

Publicado a • Modificado a

Carlos Gomes Júnior candidata-se por Guiné-Bissau melhor

media
Carlos Gomes Júnior, antigo Primeiro-ministro da Guiné-Bissau. Miguel Martins/RFI

Carlos Gomes Júnior, antigo líder do PAIGC e antigo primeiro-ministro da Guiné-Bissau, anunciou sábado que é candidato às presidenciais de 24 de Novembro. Regressado ao país de um exílio de cerca de sete anos, desde que foi derrubado por um golpe militar, Carlos Gomes Júnior voltou à vida política para ser o proximo Presidente da Guiné-Bissau.


Após um exílio de quase sete anos, o antigo Primeiro-ministro da Guiné-Bissau Carlos Gomes Júnior, ressentemente regressado ao país, anunciou sábado, dia 13 de Julho, a sua candidatura ,como independente, à eleição presidencial de 24 de Novembro

No decurso de uma cerimónia efectuada num hotel de Bissau, assistida por várias dezenas de apoiantes, na sua maioria jovens, Carlos Gomes que completa 70 anos em Dezembro, sublinhou que a sua candidatura e presidência, em caso de vitória do agora candidato à magistratura suprema do seu país, têm como objectivo restituir a confiança dos cidadãos, nas instituições do Estado, bem como a credibilidade da Guiné Bissau na cena internacional.

Carlos Gomes Junior 13 07 2019 13/07/2019 ouvir

Carlos Gomes Júnior aproveitou a ocasião para saudar, igualmente, os seus antigos companheiros de luta política, destacando, segundo ele, o líder carismático que foi Kumba Ialá.

O antigo Primeiro-ministro guineense,que em 2019 foi afastado por um golpe de Estado militar, quando se preparava para enfrentar o atrás citado Kumba Ialá, na segunda volta da eleição presidencial, sublinhou que desta vez será diferente e defendeu um futuro melhor para a Guiné-Bissau

Cadogo, como é conhecido no seu país, realçou que os seus rivais não são inimigos, mas sim adversários políticos.

Ele ressalvou que a sua candidatura à eleição presidencial será independente, livre e suprapartidária, assim como aberta a todos os guineenses que desejem novos horizontes para uma Guiné-Bissau mais solidária.