rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Paris Justiça Tribunal Banco Bernard Tapie Absolvição

Publicado a • Modificado a

Caso Bernard Tapie: tribunal de Paris absolve ex-ministro

media
O empresário e ex-ministro Bernard Tapie à sua chegada ao Tribunal de Paris no dia 14 de Março de 2019. REUTERS/Benoit Tessie

O tribunal de Paris decidiu absolver o antigo ministro e empresário Bernard Tapie, no âmbito do contencioso que o opunha ao banco Le Crédit Lyonnais, referente à venda da firma de equipamentos desportivos Adidas em 1994. Bernard Tapie tinha sido acusado de beneficiar de uma arbitragem fraudulenta, que em 2008 proporcionou-lhe a indemnização de 403milhões de euros.O seu advogado Hervé Temime, deplorou a contradição entre a justiça civil e a conclusão à que chegou o Tribunal de Paris a favor de Bernard Tapie.


O tribunal criminal de Paris absolveu na terça-feira, o antigo ministro e também empresário Bernard Tapie, o director-geral da firma Orange Stéphane Richard e mais quatro co-réus, que tinham sido julgados no mês de Março  de 2019, no âmbito da controversa arbitragem que outorgou, em 2008, à Tapie a indemnização de 403 milhões de euros.

Tapie tinha acusado o então banco público, Crédit Lyonnais de o ter lesado em 1994, no decurso da venda da firma de equipamentos desportivos Adidas, então propriedade do grupo Tapie. A justiça civil, dera razão à Bernard Tapie.

O Crédit Lyonnais depositou posteriormente um recurso, que levou o Tribunal de Paris a anular, em 2015, a decisão de 2008 a favor de Tapie.

Durante um novo processo,o Tribunal de Paris requeriu, no passado dia 1 de Abril, uma pena de cinco anos de prisão contra o empresário, por vigarice e desvio de fundos públicos, acusando-o de ter beneficiado de uma arbitragem fraudulenta.

Hervé Temime, advogado de Bernard Tapie, destacou a contradição das decisões tomadas pelos dois tribunais,assim como manifestou a sua satisfação pela absolvição do seu cliente ,na segunda-feira.

Advogado Hervé Temime 09 07 2019 09/07/2019 ouvir

Imagine que foi, ao tomar em consideração as actas deste caso, que um tribunal de recursos civil concluiu que havia uma fraude, ora o Tribunal, depois de um mês de debate, de se ter inteirado do dossier e da contradição entre todos os protagonistas do processo, disse expressamente o contrário...Não há nenhuma coerência entre a decisão civil e a do Tribunal.

Mas, hoje foi dado o passo mais importante. Nós aguardávamos este momento decisivo. Deram-nos razão e para a nossa alegria, é suficiente.

                                                                         Hervé Temime

Afectado por um cancro do esófago e do estômago, o ex-ministro de 76 anos de idade, reagiu a sua absolvição através do jornal La Provence, do qual é proprietário, afirmando que a decisão do Tribunal de Paris é a prova cabal de que nunca se deve desistir.