rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Eleição presidencial Ucrânia Petro Poroshenko Volodymyr Zelensky

Publicado a • Modificado a

Ucrânia: Zelensky ex-humorista agora presidente-eleito

media
Volodymyr Zelensky eleito presidente da Ucrânia. Kiev. 21 de Abril de 2019 Genya SAVILOV / AFP

Na Ucrânia as últimas sondagens de opinião da semana, foram confirmadas domingo pela vitória na eleição presidencial do actor e cómico Volodymyr Zelensky. Zelensky que antes do escrutínio beneficiava de mais de 60% das intenções de voto, venceu a eleição com 73% dos sufrágios. O seu rival e chefe de Estado cessante, Petro Poroshenko obteve 25% dos votos.


O desejo de alternância no poder confirmou-se na Ucrânia com a vitória de Volodymyr Zelensky na eleição presidencial. Conhecido nomeadamente pelo papel de presidente que fez numa série televisiva no seu país, o actor e humorista venceu a segunda volta do escrutínio com 73% dos votos.

O seu adversário e chefe de Estado cessante, Petro Poroshenko obteve apenas 25% dos sufrágios.

Mais do que a experiência política, que não é o apanágio do novo Presidente-eleito, foi a vontade de mudança dos ucranianos que levou Volodymyr Zelensky ao poder em Kiev.

Poroshenko reconheceu a sua derrota e felicitou Zelensky pela sua vitória esmagadora. Ele reconheceu a clareza dos resultados da votação, mas declarou que a sua derrota não significa o fim da sua carreira política

Decepcionados com o mandato de Poroshenko, os ocidentais, sobretudo os europeus, acompanharam o escrutínio e contam sem dúvida com Zelensky para consolidar a aproximação com as capitais do oeste.

Todavia não conhecendo a verdadeira personalidade do Presidente-eleito, que afirmou que não vai ser um cómico na presidência, mas sim um Presidente da República, os ocidentais preferiram adoptar a prudência.

Moscovo, não tem ilusões sobre o que serão as relações com Kiev, durante o mandato de Volodymyr Zelensky, numa altura em que os ocidentais, com os Estados Unidos na linha da frente, desejam contribuir para o declínio da influência russa na Ucrânia, ancorando Kiev as chamadas democracias liberais.

Todavia o calcanhar de Aquiles de Zelensky será a procura de uma solução para o conflito armado no Donbass, bem como a reconstrução da unidade nacional.