rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

França Paris Planeta Mundo Bruxelas

Publicado a • Modificado a

Milhares marcham por meio ambiente

media
Pessoas desfilam em Paris, para chamar a atenção dos governos perante as mudanças climáticas. 08 de Setembro de 2018 Claude Nahmias

Milhares de pessoas reuniram-se neste sábado, em muitas cidades do mundo, em nome da preservação do ambiente. Os manifestantes exigiram que os governos ajam sériamente contra as alterações climáticas aceleradas pelo modelo económico em vigor no mundoi.As manifestações correm numa altura em que está em preparação a COP 24, vigésima quarta conferência das Nações Unidas sobre o clima ,prevista entre 2 e 24 de dezembro em katowice,na Polónia


Os eventos visando exigir o respeito pela natureza decorreram numa centena de países, no âmbito do apelo denominado Rise for Climate ( Mobiliza-te pelo Clima ).

Milhares de pessoas manifestaram, na Ásia,Europa e nos Estados Unidos, onde a cidade de San Francisco lidera o movimento a favor da preservação do meio ambiente.Paris e Bruxelas foram as capitais europeias, na linha da frente do apelo mundial.

Na capital francesa, milhares de pessoas efectuaram uma marcha no centro da cidade,em resposta a um apelo lançado por um jovem de 27 anos, a seguir a demissão do ministro da transição ecológica, Nicolas Hulot.

Hulot tinha criticado o governo por, segundo ele, não evidenciar uma vontade de acelerar a transformação ecológica da França e afirmou  não ter o apoio dos franceses durante o seu mandato como ministro da Transição Ecológica

Em Marseille no sul da França, de acordo com os organizadores da marcha, 2.500 pessoas deslocaram-se para o acto.Segundo a Polícia,os manifestantes não excederam os 700.

Cerca de um milhar de manifestantes,de acordo com as organizações não-governamentais Greenpeace e Coligação pelo Clima, reuniram-se também diante do Parlamento Europeu, em Bruxelas.

Na Ásia a mais importante mobilização teve lugar em Manilha, capital das Filipinas ,onde alguns dos 800 manifestantes pediram que o país se livrasse das energias fósseis.

As Filipinas dependem muito das centrais de carvão, para as suas necessidades energéticas.