rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Publicado a • Modificado a

Cabo Verde adia isenção de vistos para cidadãos de União Europeia

media
Baía de Mindelo, ilha de São Vicente. Cabo Verde. Imagem de arquivo. DANIEL SLIM / AFP

A isenção de vistos de entrada em Cabo Verde para cidadãos da União Europeia e Reino Unido, anunciada para Maio, foi adiada para Janeiro de 2019. O Governo cabo verdiano sublinha que o adiamento foi concertado com os operadores turísticos e que vai permitir a 1 de janeiro de 2019 a todas as entidades estarem alinhadas e preparadas para a entrada em vigor da isenção de vistos. Odair Santos com mais pormenores de Cabo Verde


Cabo Verde aprova a alteração do decreto para a concretização da lei de isenção de vistos, que entra em vigor em Janeiro de 2019.

Somente a partir de Janeiro do próximo ano os cidadãos da União Europeia e do Reino Unido que visitarem Cabo Verde vão estar isentos do pagamento de vistos.

A medida do Governo foi aprovada em Conselho de Ministros e o adiamento de Maio deste ano para Janeiro de 2019 foi concertado com os operadores turísticos que vão ter de adaptar as suas plataformas à plataforma de pré-registo a ser criada no âmbito deste processo, como disse à imprensa, o ministro da Presidência do Conselho de Ministros, Fernando Elísio Freire.

A taxa de segurança aeroportuária, segundo o governante, vai compensar a perda estimada de cerca de 22 milhões de euros de receita com a isenção de vistos aos cidadãos da União Europeia e do Reino Unido.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística, os principais países emissores de turistas para Cabo Verde são Reino Unido, Alemanha, Países Baixos, França e Portugal.

O Reino Unido, com 23,6% total das entradas, seguido da Alemanha, com 11,2%, os Países Baixos e a França com igual percentagem, 9,7%, enquanto Portugal é responsável por 9,5% das entradas. O arquipélago tem uma média de 500 a 600 mil turistas por ano, mas quer chegar a um milhão até 2021.