rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo
Urgente
Croácia apurou-se para oitavos de final derrotando a Argentina por 3 a 0

China Partido Comunista Assembleia Xi Jinping Constituição

Publicado a • Modificado a

Congresso chinês revoga limite de mandatos presidenciais

media
O Presidente Xi Jinping quando votava para a emenda constitucional que aprova o fim do limite dos mandatos presidenciais na China . Beijing .11 de Março de 2018 ©REUTERS/Jason Lee

A sessão plenária da Assembleia Nacional Popular da China aprovou hoje uma emenda constitucional que estabelece uma presidência indefinida para o atual chefe de Estado, Xi Jinping.


A Assembleia Nacional Popular da China atarvés de um voto único aprovou um conjunto de 21 emendas constitucionais propostas, entre as quais a eliminação do limite de dois mandatos consecutivos de cinco anos para os presidentes do país. Dos três mil membros do Congresso chinês, três abstiveram-se e dois votaram contra a emenda constitucional que suprime o limlite dos mandatos presidenciais na China. Xi Jinping poderá por conseguinte condidatar-se indefinidamente à função de Presidente da República Popular da China .

O actual Chefe de Estado chinês , cuja filosofia política denominada o Pensamento de Xi Jinping foi inscrita na Constituição, ambiciona criar um socialismo específicamente chinês e de acordo com Zhang Dejiang, presidente do parlamento,transformar a China num grande país.

Na China os seus dectractores receiam um retorno ao modelo de liderança idêntico ao de Mao Tsé Tung, na origem da polémica revolução cultural chinesa.

Em 1982, o Partido Comunista Chinês, tinha votado a favor de um limite de doi mandatos presidenciais, de forma a impedir a prepotência verificada durante a era de Mao.

Os opositores de Xi Jinping temem que uma presidência vitalícia desemboque na ditadura de um homem. De salientar que os antecessores de Jinping retiraram-se após terem concluído dois mandatos.

O analista político Wu Qiang, afirmou que a supressão do limite dos mandatos presidenciais na China, é o resultado de um golpe que Xi Jinping prepara desde há cinco anos. Qiang acusa Jinping , nomeadamente, de ter governado no referido período,sem consultar o bureau político do Partido Comunista Chinês.

O partido único rejeitou as acusações e afirmou que a decisão de pôr um termo ao limite dos mandatos presidenciais foi tomada pelo bureau político em Setembro de 2017, porque as camadas populares eram favoráveis à medida.

A notícia segundo a qual, o Politburo do Partido Comunista Chinês tinha decidido revogar o limlite dos mandatos presidenciais ,foi revelada pelos media públicos, no dia 25 de Fevereiro.

Segundo observadores ,a aprovação pelo Congresso do fim do limite dos mandatos presidenciais, é uma importante vitória para Xi Jinping,no poder desde 2012, e já considerado pelos chineses como o maior líder desde Mao tsé Tung.