rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Luanda Assassínio Televisão Polícia

Publicado a • Modificado a

Angola:detidos suspeitos de estar implicados em assassínio de jornalista

media
Vista de Luanda,capital de Angola. Benjamin SHEPPARD / AFP

O líder do grupo suspeito do homicídio, em 2017, de uma popular apresentadora da Televisão Pública de Angola (TPA), e de outro cidadão que a acompanhava, foi hoje detido, anunciou o Serviço de Investigação Criminal (SIC).O homicídio de Beatriz Fernandes e de Jomance Muxito, em Outubro, encontrados mortos nos arredores de Luanda, chocou a opinião pública angolana. O SIC anunciou em comunicado que, "após um longo, paciente e profícuo trabalho de investigação criminal", foi possível realizar detenção do cidadão da República Democrática do Congo (RDCongo), conhecido por "Guelor", em Luanda.


A policia angolana anunciou em Luanda,que foram presos os últimos dois suspeitos,integrantes do grupo de marginais que assassinaram em 2017, a Jornalista da Televisao Pública de Angola,Beatriz Fernandes.

Na mesma ocasião, foi também alvo de assassínio o cidadão Jomance Muxito,que acompanhava a jornalista.Os filhos de Beatriz Fernandes, que se encontravam na viatura durante o assalto dos bandidos, foram depostos por estes últimos,a frente de uma esquadra da polícia,no decurso da fuga.

Segundo a Polícia, um dos suspeitos, chefe do grupo,possui a dupla nacionalidade, a do Congo Democrático e a angolana,bem como é particulamente violento.As autoridades policiais sublinharam que o chefe dos bandidos refugiava-se nas províncias do norte de Angola, limítrofes com a República Democrática do Congo.

Com os dois suspeitos foram encontrados seis armas do tipo AKM e duas viaturas roubadas.

A quadrilha,altamente perigosa, de acordo com as autoridades policiais,abordava as vítimas e roubava as suas viaturas.Estas últimas eram posteriormente comercializadas no Congo Democrático.O bando de delinquentes é igualmente responsável por vários assassínios ocorridos em Luanda.

Através de um comunicado, o SIC(Serviço de Investigação Criminal) realçou que a prisão do alegado líder da quadrilha, vai contribuir para esclarecer outros casos de roubo qualificado,sequestros e homicídios, ocorridos durante os últimos meses na região de Luanda.