rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Eleição presidencial Brasil Luiz Inácio Lula da Silva Justiça Corrupção

Publicado a • Modificado a

Brasil:tribunal nega habeas corpus e sela destino político de ex-presidente Lula da Silva

media
Frame do vídeo publicado em 27 de janeiro de 2018 pela página do ex-presidente Lula no Facebook. Reprodução Facebook

Após a sua condenação à um pena de prisão de 12 anos e um mês, no âmbito do escândalo de corrupção que afectou a Petrobras, companhia de petróleos do Brasil, o antigo Presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva , segundo os analistas , jogou as suas últimas cartas diante do Tribunal Superior de Justiça, que examinou nesta terça-feira a questão do pedido de habeas corpus ao ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva.De acordo com os especialistas, a condenação de Lula da Silva foi baseada em provas forjadas com o objectivo de afastá-lo da vida política do Brasil.O ex-presidente lidera em todas intenções de voto, relativamente à eleição presidencial de Outubro próximo.


Condenado por corrupção à 12 anos e um mês de prisão, mas segundo os especialistas sem provas cabais , o antigo Presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva,agora com 72 anos, dependia da decisão do STJ( Superior Tribubunal de Justiça) que analizou a concessão de um eventual habeas corpus. Em caso de obtenção da medida, ele poderia depositar outros recursos para adiar ou evitar o cumprimento da pena de prisão.

Visto de um prisma brasileiro, a condenação de Lula da Silva é mais política do que judicial, se considerarmos que o ex-presidente lidera actualmente em todas intenções de voto na perspectiva da eleição presidencial do mês de Outubro.

A referida instituição negou o habeas corpus a Lula da Silva.Este último poderá ser detido dentro de algumas semanas e por isso não será candidato à um terceiro mandato presidencial.

O TRF4, quarta vara do Tribunal Regional Federal de Porto Alegre , que confirmou a sentença e a aumentou de 9 para 12 anos e um mês, deverá pronunciar-se até ao fim do corrente mês sobre a prisão de Lula da Silva. Essa é a razão pela qual, os seus advogados de defesa tinha  interposto junto do STJ(Superior Tribunal de Justiça) um pedido de habeas corpus.

Lula da Silva continua a reivindicar a sua inocência e de acordo com juristas brasileiros e internacionais ,que examinaram os termos nos quais foi baseada a condenação do ex-presidente,não existem provas cabais que justifiquem a sentença pronunciada pelo juiz de primeira instância Sergio Moro e reforçada pelos seus colegas do Tribunal Federal de Porto Alegre, no estado do Rio Grande do Sul.

Os  defensores do ex-Chefe de Estado brasileiro acusam o juiz Sergio Moro e os seus colegas procuradores, de ter cometido fraudes processuais , bem como forjado provas para condenar Luiz Inácio Lula da Silva.