rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo
Urgente
Croácia apurou-se para oitavos de final derrotando a Argentina por 3 a 0

ONU Síria Moscovo Damasco Negociações Direitos Humanos Conselho de Segurança

Publicado a • Modificado a

Síria: prosseguem discussões sobre cessar fogo em Ghouta-leste

media
O embaixador russo no Conselho de Segurança da ONU, Vassily Nebenzia durante a reunião sobre a Síria .22 de Fevereiro de 2018 REUTERS/Brendan McDermid

De acordo com a organização de direitos humanos , Observatório Sírio para os Direitos Humanos, prosseguem os bombardeamentos contra a zona leste do distrito de Ghoutta controlada pelos opositores ao governo de Damasco. Segundo a organização,neste sábado morreram pelo menos 29 civis, aumentando para mais de 500,o total das vítimas desde qie começaram os bombardeamentos. O Observatório Sírio para os Direitos Humanos afirma que forças russas apoiam o exército sírio na ofensiva iniciada há uma semana.Moscovo desmentiu a sua participação nos bombardeamentos e afirmou estar pronta para caucionar um cessar-fogo sob condições.As discussões prosseguem no Conselho de Segurança.


O Conselho de Segurança das Nações Unidas devia votar o cessar-fogo, no leste de Ghouta, na sexta-feira. A resolução da ONU, cuja votação foi adiada, estabelece nomeadamente uma trégua de um mês, de forma a que seja encaminhada uma ajuda humanitária e possam ser evacuados do leste de Ghouta os feridos mais graves.

A falta de consenso entre as potências ocidentais e os russos,no respeitante ao teor da resolução esteve na origem do adiamento da votação. Moscovo que apoia as autoridades de Damasco na sua luta contra os rebeldes, afirmou estar pronta a dar a sua caução ao cessar-fogo, mas sob algumas condições.

Recomeçadas neste sábado, as discussões sobre o cessar-fogo em Ghouta-leste, no Conselho de Segurança , poderiam prolongar-se,se atendermos que os ocidentais e a Rússia têm uma avaliação diferente do que acontece no distrito sírio, bombardeado,segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, pelas forças sírias e os seus aliados russos.

Moscovo desmentiu a sua participação directa na ofensiva aérea,contra os grupos de opositores armados ao governo de Damasco. As negociações sobre a resolução visam evitar um novo veto por parte da Rússia.

Duas facções islamistas e a antiga rede Al-Qaeda na Síria, partilham o controlo militar de Ghouta-leste.A Rússia considera que não pode haver um cessar-fogo com os jiadistas e os seus aliados.

A resolução da ONU prevê uma ajuda humanitária à população do leste de Ghouta, assim como a evacuação dos feridos mais graves .

A Turquia que ajuda os inimigos de Bashar al-Assad, mas que reaproximou-se da Rússia, exortou no sábado a comunidade internacional a dizer não, ao que o governo de Ancara qualifica de massacre, no leste do distrito de Ghouta.

Na sexta-feira, as autoridades turcas pediram a Rússia e ao Irão para pôr um termo ao seu apoio ao Presidente al-Assad,a quem a Turquia acusa de assassinar o seu próprio povo.