rfi

No ar
  • RFI em Português
  • Noticiário em Português
  • RFI Mundo

Israel Palestiniano Tribunal Cisjordânia Prisão Redes Sociais

Publicado a • Modificado a

Israel:adiado julgamento de jovem palestiniana

media
A jovem Ahed Tamimi ao lado da sua advogada durante a comparência perante o tribunal militar da prisão de Ofer, próximo de Ramallah nesta terça-feira.13 de Fevereiro de 2018 REUTERS/Ammar Awad

A jovem activista palestiniana Ahed Tamimi que recentemente esbofeteou dois militares israelitas, para impedir que os mesmos penetrassem na sua residência familiar compareceu nesta terça-feira diante de um tribunal militar do estados hebreu. No dia 15 de Dezembro,data em que teve lugar o incidente,Tamimi, de 17 anos de idade,foi filmada e a video posta a circular nas redes sociais .


Ahed Tamimi com mãos e pés algemados compareceu nesta terça-feira diante do tribunal da prisão militar de Ofer, próximo de Ramallah, por uma audiência prelimlinar.O seu pai Bassem Tamimi foi o único membro da sua família pessoa presente durante a comparência.

Gaby Lasky, advogada da jovem palestiniana, deplorou que os representantes da imprensa não tivessem sido autorizados a assistir ao debate, sob pretexto de que a acusada é menor.

A audiência em tribunal de Ahed Tamimi, foi suspensa até ao mês de Março, mas  ela  permanecerá  em prisão preventiva. Tamimi e a sua mãe, Nariman, oriundas da aldeia palestiniana de Nabi Saleh  na Cisjordânia, foram presas no dia de 19 de Dezembro 2017. A jovem é objecto de 12 acusações, incluindo nomeadamente uma agressão.Na eventualidade de uma condenação Ahed Tamimi poderá ter uma pena de vários anos de prisão .

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos criticou as autoridades israelitas pela prisão de Ahed Tamimi e a União Europeia manifestou a sua preocupação perante a prisão de menores palestinianos por Israel.

A Amnistia Internacional acusou as autoridades de Israel de levarem a cabo tentativas desesperadas para intimidar as crianças palestinianas, que como Ahed Tamimi resistem à repressão das forças de ocupação.

A Cisjordânia é ocupada por Israel desde o conflito israelo-árabe de 1967.